• Mapa Turístico
  • Loja de Turismo, Portas do Sol, 4930-717 Valença
  • +351 251 823 329

VisitValença.com

Conteúdo

Valença Ganha Novo Cais no Rio Minho

Mais Apoios aos Pescadores

4 de maio de 2020

Um novo Cais Flutuante, para embarcações de pesca, foi construido em São Pedro da Torre. Um investimento de 105 mil euros que pretende valorizar a margem ribeirinha, do rio Minho, na parte sul do concelho.

Dinamização da Pesca no Rio Minho

Esta estrutura tem por objetivo melhorar as condições de acessibilidade e mobilidade dos pescadores que utilizam o rio Minho como forma de vida.

O Cais consta de passerele de acesso, passadiço flutuante, equipado com fingers e ancoradouro estruturado com estacas metálicas. O Cais é composto por 3 pontões com 36 m de comprimento e 2 m de largura. O acesso desde terra será feito a partir de de uma passerele de 10 m de comprimento e de 1 m de largura.

Aproximar Valença ao Rio

Estas obras inseriram-se no projeto municipal de aproximação do concelho ao rio, protegendo, valorizando e potenciando este recurso natural que atravessa Valença de norte a sul, numa extensão de 22 Kms.

Mais Segurança para a Pesca Profissional

Em São Pedro da Torre encontra-se uma das principais comunidades de pescadores do concelho. Esta é uma zona de excelência para a pesca profissional sobretudo do sável e da lampreia no rio Minho. Com este novo Cais os pescadores ganham uma estrutura de apoio fundamental para desenvolverem a sua atividade.

Esta obra vem na sequência de outras intervenções, nesta comunidade, nomeadamente a dos abrigos para os pescadores.

Potenciar o Turismo de Natureza

Esta nova estrutura, para além do apoio aos pescadores, abre portas à potencialização dos demais recursos do Rio Minho dinamizando, também, os passeios de barcos turísticos no rio.

A obra foi desenvolvida pela Câmara Municipal de Valença e contou com um financiamento de do programa PROMAR, através do Mar2020.

Adicionar comentário

Notícias

Fortaleza
de Valença

o mais emblemático dos seus ícones – impõe a sua presença no alto de uma colina, assinalando a grandeza de uma das mais antigas povoações portuguesas, cuja imponência será, talvez, a responsável pela primeira impressão que se tem ao chegar.