• Mapa Turístico
  • Loja de Turismo, Portas do Sol, 4930-717 Valença
  • +351 251 823 329

VisitValença.com

Conteúdo

Valença Desconfina Cultura em Julho e Agosto

18 Programas de Verão

3 de julho de 2021
Valença avançou com o desconfinamento da atividade cultural com um pacote de 18 atividades culturais distribuídas pelos meses de julho e agosto.
     A programação de verão avançou em 2 de julho, às 21h00, com um concerto da Orquestra Sinfónica de Viana do Castelo, na Igreja de Santo Estêvão. Sábado, 3 de julho, às 21h00, no mesmo local será a vez de subir ao palco os Vocalis Contrasta e o Projeto X.
     Em 10 de Julho programa-se o concerto do Grupo de Cordas 6tàs9, na Igreja do Convento de Ganfei, às 21h00.
    16 de julho o Jardim Municipal recebe um concerto da Academia de Música Fortaleza de Valença, às 21h00.
     Em 17 de Julho o palco será para o jazz com o ciclo Mosteirazz , no Mosteiro de Sanfins. Programa-se a atuação dos Kasual Quartet às 16h30 e dos Semfins, às 18h30.
    Entre 23 e 25 de julho, será a vez da Cultura da Eurocidade brindar Valença e Tui com uma programação que trará até à nossa cidade seis espetáculos de animação de rua.
     Em 24 de Julho será a vez dos Pedaço de Mau subir ao palco, às 21h00, no Jardim Municipal de Valença.
      A programação de julho encerra com os concertos dos Dark Side Project em 30 de Julho, no Jardim Municipal, às 21h00 e dos Metáfora, em 31 de Julho, também no Jardim Municipal, às 21h00.
     A programação de agosto arranca a 7 de agosto com o espetáculo de Verão no Jardim Municipal, às 21h00.
      Em 13 de Agosto com um concerto da Carminho nas Cortinas São Francisco, às 21h00. A 14 de Agosto o palco será para os Calema, às 21h00.
     Julho será ainda enriquecidos com três espetáculos de teatro, a cargo da Companhia Comédias do Minho.
     Todas as atividades terão lotação limitada e seguirão as normas emanadas pela Direção Geral de saúde.

Adicionar comentário

Agenda

Notícias

Fortaleza
de Valença

o mais emblemático dos seus ícones – impõe a sua presença no alto de uma colina, assinalando a grandeza de uma das mais antigas povoações portuguesas, cuja imponência será, talvez, a responsável pela primeira impressão que se tem ao chegar.