• Mapa Turístico
  • Loja de Turismo, Portas do Sol, 4930-717 Valença
  • +351 251 823 329

VisitValença.com

Conteúdo

Valença Aposta nas Vias Verdes e no Turismo de Natureza

16 de setembro de 2021
A Câmara Municipal de Valença concluiu com a requalificação de três trilhos pedestres emblemáticos do concelho. Trilhos Pedestres da Veiga da Mira, da Insua do Crasto e de Mosteiró já estão aptos a ser percorridos e interpretados novamente.
     Tratam-se de 31 Kms que foram remarcados, com nova sinalética orientativa, que possibilita a todos quantos o desejarem autonomamente realizar estes percursos.
     Estes percursos pretendem diversificar e reforçar a oferta de turismo de natureza / ativo do concelho.
Trilho Pedestre da Veiga da Mira
     Este percurso pedestre, de pequena rota, tem uma distância de 10,9 Kms é circular e tem uma duração média de 4 horas e desenvolve-se pelas freguesias de Cristelo Côvo e São Pedro da Torre.
     O percurso começa e acaba no Parque de Lazer da Senhora da Cabeça e percorre uma zona próxima do rio Minho rica em avifauna. Ponto central do percurso é a incursão no Biótipo da Veiga da Mira uma das mais importantes reservas naturais da bacia do rio Minho.
Trilho Pedestre de Mosteiró
     O Trilho de Mosteiró desenvolve-se por 12 Kms, é circular e tem uma duração previsível de 4h30.
O percurso começa e acaba na Igreja Matriz de Cerdal e desenvolve-se próximo ao ribeiro Mira, entre cascatas, velhos moinhos, o Convento de Mosteiró e núcleos rurais castiços, pelas freguesias de Cerdal e Taião.
Trilho da Insua do Crasto
     Com 8,2 km é um percurso circular e tem um tempo médio de realização de 2h30.
Entre Friestas e Verdoejo, por velhos caminhos, próximos ao rio Minho, este é um percurso por entre recantos naturais singulares de rara beleza, trilhos de guardas fiscais e contrabandistas e património edificado de grande valor.
     A intervenção foi financiada pelo Norte 2020 através do projeto Greenways.

Adicionar comentário

Fortaleza
de Valença

o mais emblemático dos seus ícones – impõe a sua presença no alto de uma colina, assinalando a grandeza de uma das mais antigas povoações portuguesas, cuja imponência será, talvez, a responsável pela primeira impressão que se tem ao chegar.