• Mapa Turístico
  • Loja de Turismo, Portas do Sol, 4930-717 Valença
  • +351 251 823 329*

VisitValença.com

Conteúdo

Via Crucis e Mercado Nazareno Encantaram Valença  

12 de abril de 2022

Este fim de semana Valença arrancou com as celebrações da Semana Santa, com  o Via Crucis - A Vida de Cristo, uma  viagem histórica  pelos capítulos mais marcantes  da vida de Jesus Cristo.

     A Fortaleza  recuou dois mil anos e recriou 14 dos momentos mais emblemáticos do ritual cristão da Via Crúcis: O BATISMO, O MILAGRE DO PÃO, A CHEGADA A JERUSALÉM E A CAPTURA DE JESUS, A PROVA DO PÃO ÁZIMO, A ÚLTIMA CEIA, O JULGAMENTO, A VIA SACRA, A IMAGEM DA PIETÀ, O CORTEJO FÚNEBRE E O ENTERRO, O VELÓRIO, A RESSURREIÇÃO E  A APARIÇÃO. Momentos que, pelo realismo e rigor das representações, encantaram e emocionaram todos quantos tiveram a oportunidade de assistir.
     Na Coroada, o Mercado Nazareno, em tendas de época e com os mercadores trajados a rigor, recriou um mercado de época com artesanato, queijos, doçaria, vários petiscos, chás, pedras da sorte, entre outros.
     Junto ao Jardim das Amoreiras, as cenas da vida de uma aldeia da Galileia, onde não faltaram as cabras, o burro e as galinhas e as artes tradicionais de moer o trigo ou tecer a lã.
     Mesmo ao lado, os jogos tradicionais, de equilíbrio e destreza e o carrossel artesanal fizeram as delícias dos mais pequenotes.
     No Baluarte do Carmo, esteve localizado o Acampamento Romano, com as suas tendas de época, os guerreiros e onde não faltou a figura de Pôncio Pilatos governador da Galileia. A mostra de armamento e a recriação das lutas de época encantaram, num espaço cénico dos mais cativantes da Fortaleza.
     Para o Presidente da Câmara, José Manuel Vaz Carpinteira, “este evento tem potencial para se afirmar como uma referência das programações da Semana Santa entre o Norte de Portugal e a Galiza”.

Adicionar comentário

Fortaleza
de Valença

o mais emblemático dos seus ícones – impõe a sua presença no alto de uma colina, assinalando a grandeza de uma das mais antigas povoações portuguesas, cuja imponência será, talvez, a responsável pela primeira impressão que se tem ao chegar.