• Mapa Turístico
  • Loja de Turismo, Portas do Sol, 4930-717 Valença
  • +351 251 823 329*

Turismo de Valença

Conteúdo

RIO MINHO: UM DESTINO NAVEGÁVEL REGISTOU 5400 PARTICIPANTES

8 de novembro de 2022

A campanha turística da Rota Fluvial do Rio Minho, que decorreu entre fevereiro e outubro, registou 5400 participantes, originando 350 passeios curtos e 100 passeios largos.

     Além de proporcionar passeios fluviais relaxantes, a Rota Fluvial do Rio Minho, deu a conhecer o diversificado património natural, cultural e etnográfico das duas Eurocidades (Valença – Tui e Salvaterra de Miño - Monção) que integram este projeto, posicionando o rio Minho como um destino turístico único e diferenciador.
     A Rota Fluvial do Rio Minho disponibilizou passeios curtos, com duração de uma hora, e passeios largos, com duração de um dia inteiro, proporcionando visitas aos centros históricos das quatro localidades e degustação de produtos locais.
     O resultado da iniciativa, concluída na passada segunda-feira, 31 de outubro, foi bastante positivo, confirmando, por um lado, a forte atratividade desta região junto dos visitantes e, por outro, a navegabilidade do rio Minho entre as duas Eurocidades.
     Ao longo destes meses, subiram à embarcação 5400 excursionistas/turistas, originando 350 passeios curtos e 100 passeios largos.
     A Rota Fluvial do Rio Minho permitiu o reforço do relacionamento entre os parceiros do projeto “Rio Minho: Um Destino Navegável”, já bastante positivo, e contribuiu para alargar a oferta turística, cultural e patrimonial dos quatro municípios banhados pelo rio Minho.
     Inserindo-se no projeto “Rio Minho: Um Destino Navegável”, apoiado pelo Programa INTERREG V–A España – Portugal (POCTEP) 2014-2020, a rota fluvial envolveu as Eurocidades Monção – Salvaterra de Miño e Valença – Tui, bem como os seguintes parceiros: Porto e Norte de Portugal, Axencia de Turismo de Galicia e Dirección Xeral do Patrimonio Natural da Xunta de Galicia.

Adicionar comentário

Fortaleza
de Valença

o mais emblemático dos seus ícones – impõe a sua presença no alto de uma colina, assinalando a grandeza de uma das mais antigas povoações portuguesas, cuja imponência será, talvez, a responsável pela primeira impressão que se tem ao chegar.